30 de jul de 2011

- Esse foi um beijo de despedida, que se dá uma vez só na vida...

Não tô podendo ler textos românticos; isso me retoma até você. E é tão difícil olhar para o travesseiro e ver que você não estar lá, ou ir dormir sem estar deitada no teu ombro e sem tua voz me cantando uma canção. Sem tua mão na minha, sem teu cheiro, sem teus olhos nos meus. E eu digo que foi tão bom, o suficiente para deixar saudades e fazer com que um filme passe na minha cabeça milhões de vezes até que uma lágrima caia e eu agradeça por você ter feito parte de mim.

Eu não esperava nada disso, não esperava sua surpresa cruzando minha vida. Não esperava você! Não esperava teus carinhos, tuas palavras e teus beijos na hora certa. Tua música, teu sorriso, tua compreensão. Um sonho de uma semana.

Senti o que tinha que senti, vivi o que tinha que viver, aprendi tudo o que tinha para aprender, compartilhei com teus beijos, dividi os carinhos e fixei no meu olhar os teus olhos procurando nos meus algo e me dizendo que só isso bastava.

Eu não queria um beijo de despedida. Eu queria deitar de novo naquela rede e cantar contigo, eu queria te socorrer, novamente, quando você mais precisou, eu queria construir mais olhos, dizer mais coisas e arriscar um pouquinho mais.

Preciso deixar de esperar por teus beijos, fechar os olhos e entender que era para ser assim, esquecer que chorei no aeroporto, antes e depois da mensagem, e chorei de novo ao falar de você; esquecer da despedida e do último beijo. E só lembrar de você e do final feliz...

7 de jul de 2011

- 10 things I hate about you

1. Odeio o modo como vocês falam comigo; como se eu fosse toda certinha e tudo o mais.

2. Odeia como sujam o tapete do meu carro.

3. Odeio seus cantos bregas em uma noite de sábado embaixo da chuva e como conseguem antecipar o que eu vou dizer.

4. Odeio quando apertam "pause" no Mario Kart só para eu não ganhar!

5. Odeio tanto isso em vocês, que até fico doente =D

6. Odeio quando vocês estão sempre certos.

7. Odeio quando marcamos de sair e não dá certo.

8. Odeio quando não estão por perto, o fato da gente não se falar...

9. Odeio quando me fazem rir muito e me fazem ficar com raiva

10. Mas eu odeio principalmente, não conseguir odiar vocês. Nem um pouco, nem mesmo por um segundo, nem mesmo só por odiar!

30 de jun de 2011

Eles dizem que é impossível encontrar o amor sem perder a razão...



Eu esperaria por você, mas o caso é que você parece não querer isso. Não me importaria se passassem os invernos e a primavera me trouxesse flores; eu continuaria ali, sentada de frente para a porta onde você entraria e me entregaria flores e chocolates que colhestes por sua caminhada, e em mim despertaria o mais sincero dos sorrisos.

Mas o caso é que também eu não posso. Não posso te ver por aí, caminhando e construindo sonhos sem eu estar presente, te ver revelando fotos sem eu estar do seu lado. Não me importaria se o verão passasse e com ele levasse você, e me conduzisse ao céu azul, apaixonado pelo amarelo e rico de felicidade que, outrora, contemplava teus lábios.

E você ainda nem se foi e essa questão já me assola. É que eu sinto um final próximo de se tocar, sob as luzes que clareiam os teus olhos e me mostram um espelho sobrenatural, no teu abraço que parece um "até mais" e não uma aproximação. E o que dizer desse teu sorriso meio de lado, que afasta meu cabelo a procura dos meus lábios e do teu ombro que tanto me serve para estabelecer minha calma.

E o que falar das tuas manias inoportunas, dos teus gosto insuportáveis e dos teus argumentos inquestionáveis de que sou louca por você. E do jeito envergonhado que transmites quando sorrio entre um beijo e outro, dos verbos conjugados juntos e das discussões clínicas de mensagens no final de semana. Das suas danças meio atrapalhadas e da sua voz péssima para cantar.

A questão é que eu já sinto falta!!!

30 de mai de 2011

- Oh! Queria que eu estivesse olhando nos seus olhos...

Você é o melhor
E sim, eu me arrependo
Como eu pude me permitir
Deixar você ir
Agora a lição foi aprendida
Eu toquei isso e eu fui queimada
Oh! Eu acho que você deveria saber

(Thinking of you - Kate Perry)


14 de mai de 2011

- I can not sleep I can not dream tonight



Sinto falta de algo que nunca tive, mas sempre esteve aqui comigo. Aquela falta que, se eu não sentir, rompe a melodia do dia e me faz deixar de pensar em você. É uma falta que não se cabe em só pensar.

Aquela saudade de um viver distante e sem nada concreto, de uma dúvida intensa e um querer duvidoso. De uma imaginação abstrata do teu beijo e do teu toque. A saudade de passar dias sem te ver e quando enfim consigo o que quero acontece que me retomo para mais longe do que estava.

E eu não consigo ficar perto; ou timidez, ou disface, ou medo, insegurança...

Nunca tentei te contar o que eu queria. Mas, se adiantar de alguma coisa, não falte com sua presença por aqui. O teu afeto me afetou, isso é um fato consumado que não requer explicação.

Não me espere até o final se não for para ficar. Nem chame minha atenção se for por acaso. Mas se quiseres ser memorável, só me leve para perto de ti, isso já basta. A falta que eu sinto passa com isso.

Que as horas passem rápido, que a lua apareça com mais frequência e que o seu rosto se apague por um instante e enfim chegue o momento que eu tanto quero. Mas nunca esqueça do que eu realmente quero...

7 de mai de 2011

- I can't put this down

Me encontre em algum lugar, perdida por aí. Mas não me encontre para dizer as mesmas palavras, porque eu já sei. Preciso que me fale tudo aquilo que está mais dentro de você. Segure minha mão e torne este dia uma espécie de conto de fadas.
Me ensine alguma coisa nova e me faça entender a mágica do teu sorriso e o brilho dos teus olhos. Me carregue em teus braços e me gire, toque na ponta do meu nariz e me diga o que eu ainda não sei; torne este dia uma espécie de conto de fadas.
Arrume aquela bagunça de antes, fale menos e haja mais. Coloque seu tênis favorito e vamos correr por aí, olhando o redor da vida e idealizando o que seria do destino se nossas escolhas fossem outras. Eu te olho e você imita a minha maneira de sobrar o cabelo da testa afastando-o dos olhos. Me diga que, apesar deu estar uma bagunça ainda continuo bonita.
Posso sentir algo diferente. Deve ter sido o jeito que você me beijou. Você me beijaria de novo para tornar este dia uma espécie de conto de fadas?
O meu sonho poderia encontrar o seu desta vez.

24 de abr de 2011

- Tão natural como a luz do dia


Sua mão entrelaçou na minha como forma de um laço, guiando-me até sua cintura como se quisesse sentir o aproximar um pouco mais. Os passos me levavam de um lado para o outro, numa melodia não tão familiar. Enquanto envolvia minha cintura eu envolvia seu pescoço e cruzava as mãos por trás.

Os rostos que estavam colados lateralmente se afastaram e sorriam um para o outro, foi neste momento que tudo clareou e se mostrou pela primeira vez.
Não eram aqueles olhos que eu queria olhar. Pelo primeiro instante a respiração ofegou; não era aquele sorriso que eu queria ver. Por um instante hesitei em sair dali, mas o que fiz foi segurar mais forte em sua mão, sem um motivo qualquer de lógica. Não que ágüem percebesse.

Sua mão subiu para o meu ombro e só o que eu conseguia pensar era em outra situação longe dali. O que parece engraçado é pensar em algo distante e rápido, difícil e estranho, com aquele perfume bem característico no ar, transpassando centímetros e suavizando o redor.

Não era aquela voz que eu queria escutar, emitindo elogios e frases meio descompensadas, retardando um descanso. Você me girou, soltou minha mão, o vestido se levantou um pouco e os olhos piscaram; o ritmo não era mais tão perfeito como antes.

O giro se transmitiu. Um vento, um sol, uma sintonia. Um sorriso perfeito e alegre, uma voz que eu queria escutar e uns olhos que eu queria ver. Era mais do que aquilo tudo; uma dança de sentimentos da vida. Sua mão entrelaçou na minha como forma de um laço, guiando-me... Sem mais palavras.

23 de abr de 2011

- Se não for para me fazer voar bem alto, não me faça tirar os pés do chão



- Você merece alguém insanamente, inexplicavelmente, perfeitamente e completamente apaixonado por você. Abre teus olhos, esse alguém sou eu. The Romantics

15 de abr de 2011

- You know what I mean

Reparei que teus olhos pousaram sobre mim de uma maneira diferente, cuidadosa e aproximada. Algo nos chamou atenção. O que está escondido se tornou mistério a desvendar e perguntas a fazer. Um toque de mão virou algo a desejar em cada instante.

Conversas sempre foram traçadas indiretamente em meio a assuntos rotineiros. Um olhar se fixou e pude ver que teu sorriso é tão bonitinho que me faz sorrir junto. E eu sinto um desejo constante de querer que você esteja por perto e converse comigo; suas respostas são perfeitas para minhas perguntas.

Hoje eu queria um olhar seguido da tua mão gelada tocando no meu braço, um olhar e um toque dispostos e não opostos. Ah vai logo! Faça as coisas mágicas acontecerem que eu estou esperando. Aproveite e cante aquela canção.

Só se por acaso você queira saber: eu reparei que você reparou que eu estou te reparando. O motivo do meu sorriso já corresponde a ti.

10 de abr de 2011

- When you look at me you don't know how I feel


Ela não queria que o champanhe surgisse como mágica em seu copo; ela queria apenas que algo a surpreende-se no meio do jantar. Ela não queria um cara perfeito, dos seus sonhos; só queria alguém que ela gostasse e gostasse dela.

Como um perfume no ar, é isso que ela sentia. Aquele sorriso de alegria por olhar fixamente em seus olhos, um brilho incomum. Poderia senti-lo por perto, quando ele encostava sua cabeça em seu ombro e pegava na sua cintura.

Isso tudo era o que ELA achava e sentia, só restava saber o que ELE achava e sentia. Ela queria um dia ser alguém pra ele, alguém que na verdade não existe e a fantasia cogitou criar. Alguém que ele realmente se esforçasse para dar certo, alguém com quem ele pudesse compartilhar sonhos e querer um futuro junto.

Seus olhos estalavam frente a situações que colocavam seu desejo em prova. Essencial. Essa é a palavra a que a ele se resumia. Sentimento. Saudade. Inventou uma desculpa para o procurar, ligou; não conseguiu. Inventou uma desculpa para dizer que ainda o amava. Também não conseguiu. Era uma garota pedindo para um menino lhe amar.

- Certo. – Ela está segurando a cabeça. – Certo. Escute. Eu não nego que estava pensando em você. Não nego que você acabou entrando no... Mas isso não quer dizer... – Ela levanta os olhos. – Eu estou pensando em você na maior parte do tempo. Essa é a verdade, eu penso em você.

17 de mar de 2011

- Histórias que nos contam na cama, antes da gente dormir


Ele não era bem da família real, não tinha espada de luta e nem cavalo branco, mas andava sobe uma pose de príncipe, com direitos a elogios que nem realeza.

"Ah, tá okay, mas acho que temos necessidades diferentes por aqui..."

"Princesaaaa", era como um grito de guerra noturno, seguido de fogos semi-silenciosos, que atravessavam a tecnologia e se instalavam em emoções. "Saudades", sua segunda característica definidora.

Ao invés do cavalo se queria um cachorro. Ao invés do objeto de combate se queria uma aproximação. Para as noites de gala um terno ou smoking que lembrava um pinguin, através de uma foto postada. Para os outros dias, uma gola polo. Tudo servido pela necessidade de um abraço constante.

"Forever can never belong enough for me...", uma canção embalava seu Era uma vez. Ele não cantava suas melodias, mas tocava acordes de um teclado, desenhava pinturas e escrevia prosas. Não era um vilarejo de conto de fadas na imaginação de um leitor, é um lúdico transpassando a superfície, indo direto formar sua imagem real.

O antagonista da estória seria o destino, a princesa: a narradora. O sonho: real. Uma busca pela incerteza de um sim e um medo de um não. A problematização era a escolha divergente que se optou e a separação que aconteceu.
Mas no final do Era uma vez, existiam váriso coraçãozinhos que expressavam o que a voz não dizia. E o final para o Ever After ainda não chegara ao fim para comtemplar o que se esperava. Mas o que se esperava afinal?! Apenas algo que alegre o coração.

13 de mar de 2011

- Te colocar sobre as minhas asas


Vou secar qualquer lágrima

Que ousar cair

Vou desviar todo mal do seu pensamento

Vou estar contigo a todo momento

Sem que você me veja

Vou fazer tudo que você deseja.

Mas, de repente você me beija

O coração dispara

E a consciência sente dor

E eu descubro que além de anjo

Eu posso ser seu amor.

8 de mar de 2011

- O que for pra ser vigora

Se eu te perguntasse, você negaria. Como uma resposta adaptativa frente a uma situação desagradável. Você faria isso por medo de si, por medo de mim, ou por medo de qualquer outra coisa.
Não sei se me falo da realidade do seu contexto: uma distância tão grande e uma indecisão tão profunda; ou da realidade do meu contexto, uma dúvida permanente e um medo assustador. A dúvida vem do não saber optar frente a três opções e o medo é o de não conseguir com que as duas partes de unem e ter de encarar a verdade não planejada.
Das nossas coisas que eu me lembro é o seu poder de saber o que se passa comigo e o meu poder de retribuir o mesmo. Dos meus sonhos o que eu mais me lembro é de sempre construí-los sozinha, sem depender de ninguém para executá-los.
Recentemente tenho repetido a frase de felicidade várias vezes. talvez para me convencer disso ou para tentar achar o que há de errado. E a verdade é que eu não consigo achar nada de que eu me arrependa e peça para mudar. Dentro dos meus objetivos, você não se encontrava. Talvez esta tenha sido a questão, apesar de querer nunca almejei.
Sabe aquela vontade de jogar tudo pro alto e viver do que for designado?! Eu não tenho isso, meus planos me seguem e me rodeiam. Se não acontecer, ao menos busquei. Sabe aquela vontade de sumir!? Eu tenho isso, mas a realidade me consome e me diz que de nada adianta fugir.
Sabe aquele sonho de ter asas!? Eu sinto que isso está começando, de acordo com as minhas asas. Mas sabe aquela pergunta!? Se eu me perguntasse, eu negaria. Como uma resposta adaptativa frente a uma situação desagradável. Eu faria isso por medo de mim, por medo de ti, ou por medo de qualquer outra coisa.

1 de fev de 2011

- O nosso instante mais bonito


Que seus olhos me mostrem sempre a mesma luz e me atraiam o mesmo sentimento e me levem pra um caminho sem volta, e me trague as cores e os desenhos que planejamos. Sonho tão lindo é ter certeza que teu cheiro e tua voz sempre serão memoráveis e que teu toque seja sempre de carinho. E se eu te abraçar, que assim permaneça por um tempo pra sentir o teu calor no final da tarde. E se você sorrir quando isso acontecer que seja por eu estar por perto. Não é fácil o que eu quero. Não é fácil sentir o que se sente. O que incomoda é a incerteza de um duplo sentido. O que eu quero e preciso escutar só vem de uma pessoa, o restante só serve para alimentar a saudade de uma confusão mal feita. No final de tudo, espero teu abraço e teu colo, me contando porque sempre estivestes por perto, descobrindo a semelhança nos traços, os ares que se cruzam, as mãos que se tocam e os sorrisos que se chamam.

18 de jan de 2011

- Back to January 18


O bom da vida é sempre ser surpreendida. A surpresa de um novo doce nos carrega para um novo pensamento; constante que, se dependesse apenas de uma mão, seria mais do que um pensamento, e que, se não fosse tão distante, seria real. Nunca me ensinaram a escrever desejos com lápis de cor.

Dos pés que pisam os degraus só há a certeza de que eles não voltarão a tocar o mesmo chão, mas a sensação que nos invade é de que tudo pode dar certo quando todos querem que der certo. E não importa as controvercias as quais somos designados, alguma coisa sempre diz que tudo pode acontecer em apenas um minuto e tudo pode mudar em um segundo.

As luzes que piscam servem de distração para as questões. Embaixo do mesmo céu há uma questão de querer, um destino almejado de ser palpável. Ainda não está certo. O que percorre os ouvidos são dúvidas e desejos. Nunca se acredita; nunca acreditamos na verdade porque é boa demais e a negação surge como mecanismo de defesa.