23 de set de 2012

Se eu não me vigio um instante, me transporto pra perto de você...

   Eu me via no teu perfume e me sentia no teu sorriso; aquele meio bobo, sem jeito, em um paradoxo incomum de timidez e alegria. Quando me aproximo, consigo sentir teu cheiro transpassando e que parece permanecer por horas na lembrança que insiste em se repetir. E quando dou conta de mim, já estou perto de você, analisando gestos, palavras e atitudes que quando não tentam me dizer nada, acabam por dizer tudo.
    A conversa que não termina, a msg que não para, o esperar que continua, a incerteza que persiste, o desejo que se tem, a palavra que se esqueve, a lembrança que fica, o sorriso que não vai embora, a leveza que me traz, a música que não acaba, a cabeça no meu ombro, as mãos me entrelaçando em meio aos rostos lado a lado. Um nervoso tão gostoso, que chega a mim e dura por um tempo. E uma vontade imensa de te falar... De pedir para não evitar meus olhos e de não sair deste abraço.
    E o que eu só desejo é o tempo... O tempo para se checar devargazinho e te esperar numa certeza insensata, no saber de que o que você quer é compatível com o que eu quero. De ir aos passos, conquistando aos poucos o que de mim já faz parte.