30 de jun de 2011

Eles dizem que é impossível encontrar o amor sem perder a razão...



Eu esperaria por você, mas o caso é que você parece não querer isso. Não me importaria se passassem os invernos e a primavera me trouxesse flores; eu continuaria ali, sentada de frente para a porta onde você entraria e me entregaria flores e chocolates que colhestes por sua caminhada, e em mim despertaria o mais sincero dos sorrisos.

Mas o caso é que também eu não posso. Não posso te ver por aí, caminhando e construindo sonhos sem eu estar presente, te ver revelando fotos sem eu estar do seu lado. Não me importaria se o verão passasse e com ele levasse você, e me conduzisse ao céu azul, apaixonado pelo amarelo e rico de felicidade que, outrora, contemplava teus lábios.

E você ainda nem se foi e essa questão já me assola. É que eu sinto um final próximo de se tocar, sob as luzes que clareiam os teus olhos e me mostram um espelho sobrenatural, no teu abraço que parece um "até mais" e não uma aproximação. E o que dizer desse teu sorriso meio de lado, que afasta meu cabelo a procura dos meus lábios e do teu ombro que tanto me serve para estabelecer minha calma.

E o que falar das tuas manias inoportunas, dos teus gosto insuportáveis e dos teus argumentos inquestionáveis de que sou louca por você. E do jeito envergonhado que transmites quando sorrio entre um beijo e outro, dos verbos conjugados juntos e das discussões clínicas de mensagens no final de semana. Das suas danças meio atrapalhadas e da sua voz péssima para cantar.

A questão é que eu já sinto falta!!!