11 de jan de 2010

Prazer, somos seus anjos da guarda...



Se existe alguém que escolheu um curso meio que nas escuras este alguém sou eu. Eu sinto que no fundo minha mãe queria que eu fosse da área da saúde, apesar de ter sempre deixado em aberta a minha escolha profissional. Eu queria Eng. Civil, mas depois de visitar uma Feira de Anatômia meus sonhos e planos mudaram da água para o vinho... Cheguei em casa anunciando "Quero ser terapeuta ocupacional e veterinária!". Minha mãe logo retrucou "Por que você não faz Enfermagem?". Enfermagem? Naquela época a profissão tinha como significado para mim segurar o aerossol da criança na cama de um hospital enquanto ela aspira, tirar sangue em laboratórios e aferir pressão. Completamente errado!! Aos poucos esqueci a Terapia Ocupaciona e me foquei na Medicina Veterinária, que só tinha em uma faculdade do Pará. Plano!? Mariana teria que escolher nas outras faculdades um curso que viesse a fazer caso não passasse em Veterinária.


Vida vai... Vida vem... Tempo vai... Tempo vem... Pessoas vão... Pessoas vem... Êpaaa; eis que surge aí uma pessoinha que abriu os meus olhos me apresentou a Enfermagem que eu ainda não sabia. Conclusão: enfermagem seria meu segundo plano. Estava tudo arquitetado, rumo a Veterinária com a Enfermagem como suporte caso algo aconteça de errado (bate na madeira!). Mas alguém já dizia que a vida é uma caixinha de surpresa e ao longo do caminho comecei a perceber que a Medicina Veterinária não me traria o que eu queria; e eu não me refiro a dinheiro e sim a oportunidades de exerceu verdadeiramente o que eu almejava. Deixei meio que de lado este curso apesar de passar o Convênio inteiro na dúvia: Enfermagem x Veterinária.


CESUPA, UNAMA, UEPA e UFPA: caloura Enfermagem 2009. Entrei no curso já com o espírito de me tornar enfermeira. UFRA: caloura edicina Veterinária 2009 - um dia de aula abandonei o curso. Não era pra mim! Em uma profissão que eu achava ser horrível (como eu pensei nisso!?) eu me realizei. Ainda estou no segundo ano da faculdade, mas me sinto completamente apaixonada pelo o que faço. Eu sinto fazer tudo com amor e dedicação e as coisas dão bem certas; mais do que certas. Deus é muito safo!! Como as coisas são!? De exatas para biológicas. Eu sempre fui boa em matemática e ruimzinha em Biologia, mas quando entrei na faculdade esta posição foi trocada.


Eu não me imagino longe do que eu estudo e do que eu faço, eu não me imagino sem meus pacientes, sem meus jalecos, sem ajudar alguém, sem ser útil a uma vida. Simplesmente AMO o que escolhi e a cada dia que passa tenho mais certeza que estou no lugar em que deveria estar. É muito gratificante alguém chegar e me dizer: "Você tem cara e jeito de enfermeira!", ou "Eu acho tão bonito este teu gosto, amor pela Enfermagem!" ou inda alguém dizer "Obrigada!". Sinto-me completa!!! Isso é algo que ninguém tira de mim.


Ser enfermaira não é para qualquer pessoa; tem que ter um dom especial que só nós temos. E Graças a Deus, fui uma das contempladas com este dom. Enfermagem é uma arte, a mais bela de todas!

0 comentários:

Postar um comentário