13 de abr de 2010

- Seu all star azul NÃO combina com o meu preto de cano alto

Alguém, ali em cima, do outro lado, está mexendo alguns pausinhos. Movimentando situações que eu gostaria que ficassem paradas, quietas, exatamente do jeito que estavam; um modo bom de caminhar. Mas como o tempo é rei e eu não pertenço a monarquia, não posso controlar nada, sou subordinada a ações extras corpóreas que me designam o quê fazer. E é incrível como o mundo dá voltas e como as coisas acontecem; o que não parece ser incrível é que nada conspira ao meu favor.

Não é que eu esteja reclamando da vida, não me entenda como uma ingrata. Só estou expondo o que de contra-gosto está acontecendo!

Mas o fato principal é que tudo que ocorre sucede por alguma razão da qual só descobrimos depois; é o clichê de acontecer hoje entendermos amanhã. E eu estou doida para que o amanhã chegue e eu posso descobrir com que finalidade estou passando por isso, suportando isso, controlando-me a cada minuto para não explodir ou começar com conversas cruzadas, a alfinetar as coisas, a meter o bedelho aonde não devia. Mas do jeito que eu sou, não vou conseguir permanecer calma e quieta por muito tempo.

Estou procurando ser sábia, mas o meu empulso não tem deixado. Eu só sei que eu só posso estar merecendo isso! O que eu fiz? Onde errei? Onde eu fiz um buraco imeeeeeenso? Talvez isso seja até drama. Porque adolescente... (até os 19 anos) é um ser de outro planeta, tudo leva ao extremo e ainda junta com a minha personalidade de levar a vida como um drama.

É o seguinte: não quero ter que lhe dar com pessoas das quais eu FUJO diariamente por questões de segurança de ambos os lados.

Se eu pudesse eu fugia só por um instantinho; para parar de me sentir estranha e anormal com tudo isso confundido dentro de mim, para achar um meio termo entre a paz e a guerra, o amor e o ódio, a chuva e o sol.

Não me olhe com este jeito! Só quero ter tranquilidade de andar nas ruas e não me deparar com sombras.

0 comentários:

Postar um comentário