3 de ago de 2010

- Manual para Românticas Incorrígíveis

Tom olhou para o chão, e então de novo para Kate.

- Kate, eu... eu gosto de você. Sempre gostei. Não, não é isso. Eu te amo, Kate. Amo tudo em você. Aprendi a amar até este livro, este livro perigoso e suas desastrosas dicas de moda. Eu quero ser o seu herói romântico, Kate. Quero ser aquele que vai virar a sua cabeça e cavalgar pôr do sol adentro com você na garupa do meu cavalo. E se isso não puder acontecer, então pelo menos me deixe ficar na sua lista de suplentes. Caso o herói fique preso em uma emboscada...
Kate o beijou.
- Que tal você simplesmente ser o amor da minh avida? - ela sussurrou, numa voz rouca. - Aquele em que eu penso o dia inteiro até chega em casa. Aquele que eu gostaria que me abraçasse agora?
- Assim? - Tom disse, se inclinando e abrançando-a.
- Exatamente assim - Kate sussurrou.
- Mas pelo menos deixe eu usar um chapéu charmoso - Tom riu, beijando os lábios dela, o nariz, a testa, e então os lábios de novo.
- A questão é, Tom, que eu não sou mai suma romântica incorrigível - Kate disse séria.
- Mas você precisa ser - Tom disse, com uma expressão magoada - Você me converteu completamente, e Sal também, pelo visto. Não pode se transformar numa pragmática agora, por favor.
Kate balançou a cabeça.
- Lamento, Tom. Simplesmente não sou mais. - então ela sorriu, maliciosa. - Sou uma romântica que foi corrigida - e ficou na ponta do spés para beijar Tom mais uma vez. - Afinal de contas, o que é isso, senão um final feliz?


(Gemma Townley)

0 comentários:

Postar um comentário